Notícias

Por favor, quer falar?

A filosofia é a ciência que faz o homem pensar, através de reflexões e de pensamentos os filósofos entendem que podem melhorar o individuo, dizem, que as respostas que muitas vezes procuramos, estão dentro de nós.

As Emoções no que decorre a parte cognitiva de um ser humano são advindas do sistema límbico, onde nosso cérebro reserva um espaço para cultiva-las, decerto que não há na vida, disciplina no currículo dos brasileiros, principalmente na sua  vida acadêmica de um aluno, alguma disciplina que explica o funcionamento destas emoções, suas características e principalmente como agir quando elas chegam. E chegam hein…..

O primeiro Filosofo Sócrates gostava de diálogos onde explicava o funcionamento do pensar, elaborava longos discursos em praças públicas para seus ouvintes decorrendo sobre temas da vida, porém, um dos primeiros filósofos a decorrer sobre temas referente as emoções foi Aristóteles, usando o tema a Felicidade.

Obviamente os filósofos não explicavam o funcionamento fisiológico do nosso cérebro, mas sim as reações que as emoções provocavam no ser humano, principalmente suas características.

Depois do advento da Ressonância Magnética é que os médicos tiveram acesso ao cérebro humano em funcionamento. A RM foi apresentada em 1973 por Paul Lauterbur no mesmo ano em que a Tomografia Computadorizada. Antes disso o cérebro humano era estudado somente com cadáveres.

Deste momento em diante passamos de ter a noção de como realmente nossa mente funciona, ou como nosso cérebro trabalha.

Sendo assim, as emoções que permeiam a sensibilidade humana são inerentes de um indivíduo pra outro, uns podem trabalhar melhor com a raiva, outros melhor com o medo e assim há uma diversidade imensa que permite nos dizer com toda certeza que cada ser humano é único.

Por exemplo, dia 10 de Setembro, comemoramos o dia mundial de prevenção ao suicídio; há no mundo segundo a ONU, mais de um milhão de suicídios no mundo, doze mil no Brasil, porém, a cada suicídio registra-se cerca de 3 a 4 tentativas, sendo assim algo precisa ser feito, aliás muito ainda precisa ser feito, principalmente para equilibrar-nos emocionalmente e principalmente ficar atentos ao nosso redor.

Deste modo então não precisamos ser filósofos ou especialistas em emoções, muitas vezes para salvar uma vida, basta ter a acuidade sensorial e perceber ao nosso redor quem necessita de atenção, quem implora para ser ouvido, sem julgamento sem afronta. Para isso uma única ferramenta se faz necessária, amor ao próximo e uma simples pergunta….“por favor, quer falar?”

Hélio Fernando Redondo

(0)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *